O-vários


Ovários

Da sensação de força e leveza nas minhas pernas
Eu sinto saudade

Saudade do meu pé forte de bailarina
Saudade da dança em mim

Essa é a minha estação da despedida
Do desapego, da transmutação
Menopausa

Pausa
Não preciso mais reproduzir
Meu útero nunca mais carregará semente
Não produzo mais ovos nem leite
Nem quero homem dentro de mim

E agora, o que faço com meu corpo?
Como viver com esse cansaço
Essa perda de ânimo
Necessito despertar o novo sentido

Ao mercado eu só interesso para reposição hormonal
Me recuso.
Anti depressivos, ansiolíticos, remédios, remédios e mais remédios…
Não posso evitar um ansiolítico no pânico.
No susto que dá perceber a vida que passou

Assim como tem preparação para o parto
Eu sinto falta de uma mulher mais sábia que eu
para conversar e aprender sobre a menopausa
Eu não preciso mais sangrar pela terra
Tenho diante de mim a vida
E minhas escolhas

Aprendo sobre o poder da pausa e da respiração
Aprendo nesse corpo onde respiro
a viver um momento por vez
Uma respiração por vez

Estou pedindo os sinais
Que sempre me indicaram o caminho
Os sinais vem do meu corpo
E, como sempre, eu obedeço
Para compreender e harmonizar

Para sentir amor, sabedoria e poder suficientes
para todos os dias, recriar a vida em mim.

 

Anúncios