O sono que não vem


O sono que não vem

Acontece depois de um dia estressante; não conciliamos o sono, apesar do cansaço.
E mais: por causa dele.

Nossa saúde melhora quase 100% quando deixamos nosso corpo dormir o quanto precisar. O negócio é a cabeça.

Vivemos numa sociedade de doenças crônicas, ou seja, “tapamos o sol com a peneira”, porque não temos o hábito da prevenção.
Todos os tratamento medicamentoso deixa efeitos colaterais e a função principal e aliviar o sintoma, contando sempre com a natureza da pessoa, para não ter que lidar com os efeitos colaterais.
No final das contas, o que dá mais resultado, é simples e fácil, uma vez decidido. é aprender, cada um, a conhecer e cuidar do próprio corpo.

Claro, que pode fazer consultas com pessoas que sabem o que você decidiu que precisa saber.

Por exemplo, se você vai dormir as 23h, a preparação começa às 21h. Um banho, uma prática suave de alongamento, respiração e meditação por pelo menos cinco minutos e oleação do corpo inteiro com óleo virgem.

Em caso, de fadiga crônica, ansiedade e dor, devemos acrescentar um escalda pés com sal grosso ou vinagre de álcool. Um chá de mulungu com erva de São João, mel de abelhas e canela em pó. Temos que cuidar tanto ou mais do que quando vamos sair.

Se depois de tudo isso você não conseguir dormir, com certeza estará mais equilibrado e descansado. Poderá passar acordado com atividades lúdicas, até o sono chegar.
O importante, é não se irritar com a falta de sono.
Sabemos que se formos hiper estimulados por algum acontecimento péssimo ou excelente, nosso sistema nervoso central necessita de atenção e cuidados. Tratamento não, cuidado.
Ao decidir criar um estilo de vida compatível com nossa consciência corporal, estamos decidindo também por muitas transformações. É no corpo que sentimos o prazer e a dor de sermos essa unicidade toda assumida.

Observe sua respiração
Articule a mente

Anúncios