É no corpo que a alma dói


É no corpo que a alma  dói

Há várias maneiras de se odiar o corpo
Desidratando-o, intoxicando-o, expondo-o a circunstâncias perigosas.
Intoxicado, desidratado e desprotegido, o corpo é desconsiderado da Unidade
Inseparável e inescrutável Unidade Corpo-Alma
É no corpo que percebo esses sintomas.
E quando me sinto sem ânimo para fazer planos,
quando a esperança se esvai do coração,
é no corpo que a alma dói.
Na coluna, na perna,
no coração e cabeça.
É no corpo que a alma dói.

Respiro consciente do que faço, respiro para sentir mais,
respiro para aliviar e expandir. E me deixo a questão:
“Como eu me odeio? De que maneiras eu posso me odiar sem perceber?”

A respiração mantém minha existência no corpo.
A simples observação pacifica a alma. Acende o brilho do olhar.
Amplia a respiração.

 

CorpoInConsciencia
Faça-se uma gentileza
Observe sua respiração.
Articule sua mente

Anúncios

Um pensamento sobre “É no corpo que a alma dói

  1. Pingback: É no corpo que a alma dói! | Juliana Romantini | Consultoria de Bem Estar

Os comentários estão desativados.