A morte dos que não vivem


Rosto

Se viver é acordar todos os dias na mesma hora, enfrentar o trânsito com tolerância, passar 8 horas do seu dia convivendo com pessoas, que na maioria, estão tão institucionalizadas (trabalham para pagar contas, comprar e se endividar) ou mais, que você. Tudo isso sem reclamar. Só o corpo é que é mal humorado, reclama de todo tipo de dor e tensão.

E para isso temos o dinheiro, que paga o plano e que manda comprar remédio e combater o sintoma, que te atrapalha ser produtivo para a empresa e a sociedade. Não importa o indivíduo e sua F**ng unicidade. Seus afetos, seu sonho e planos. Principalmente, o seu corpo. Esse indivíduo está física e emocionalmente saudável?

Tem esperança no coração e clareza na mente? Não importa. Nada disso importa quando se trata da tradição, da família e da propriedade. Se isso é viver e a maioria não sente mal algum nisso, maravilha! As vezes, invejo essa ingenuidade. As pessoas que ligam pro “criançaesperança”, pro BBB, daqueles que ligam a TV e usam seu dia de folga assistindo futebol e bebendo.

Eu, como louca mansa que sou, vejo nisso uma conspiração de extermínio da nossa espécie, através de um tipo sutil de lobotomia. Lógico que seria pelo corpo. Posição esparramados em um sofá, comidas calóricas e gordurosas, e hipnose para desestimular pensamento criativo. Se é  assim a vida nesse mundo, sinceramente prefiro viver na margem.

Nas plenas possibilidades de abundância, afeto, dor, unicidade, busca e encontro. É aqui que pari meus filhos, e recebo meus netos. É aqui onde me sinto inteira e ao mesmo tempo me fragmento. Onde a alegria se confunde com a  dor. O material com o imaterial. Vida e morte,

Dia e noite, num ritmo respirado por cada ser vivente. E apesar de não ser do mundo, desse novo jeito criado assim, de Corpo e Alma, eu quero viver nesse mundo que posso ser, desconstruir e construir diante de meus olhos, num movimento quase fisiológico. Assim dá pra viver e estar de bem nesse mundo, que é dinâmico, que é generoso, curativo e libertador…Que é aqui e agora, só que e outra dimensão. Na dimensão bem longe da TFP, talvez fora do tempo, o amor de todos os lados…Mas é um bom tema para meditar e o resultado que advém, não importa… Apenas medite.

CorpoInConsciencia

Faça-se uma gentileza

Observe sua respiração. Articule sua mente

Anúncios

5 pensamentos sobre “A morte dos que não vivem

  1. Um dos melhores blogs que já encontrei por aqui. Parabéns de verdade. E Muito obrigado por está aqui agora, me sinto exatamente assim. Um beijo em sua alma…

    Curtir

Os comentários estão desativados.