Habitar o corpo


1395196_574720039263869_693253099_n

Presa de alguém, de algum lugar, situação difícil, pesa na respiração? De alguma maneira, experimentamos em diferentes graduações, um tipo de prisão, alguma coisa que contrai, que encolhe, e há ocasiões em que chegamos mesmo a sentir que nos falta o ar… É claro, que o ar está aí, a nossa disposição, inclusive repleto de energia vital que nos nutre, mesmo quando nos falta o ar.

“A vida não é feita de momentos que você respirou … Mais sim daqueles que o fizeram perder o fôlego.” Hitch-Conselheiro Amoroso

Sim, temos um corpo que sente, que pensa e transcende. Chegamos num momento de decisão enquanto humanidade, e concomitantemente cada indivíduo sabe disso, mesmo não estando consciente. E enquanto seres condicionados pela educação e sociedade, sentimo-nos inseguros com mudanças que não entendemos, as quais não estamos conscientes. Essa insegurança, e  sua correspondência emocional, vivem no corpo e na atenção. E se origina em uma parte de nós que chamam de inconsciente. Aquela parte de nós, que nem temos como pensar, mas sentimos no corpo. É a interação do material com o imaterial em nós.

“…O mundo vai ficando cada vez mais veloz, A gente espera do mundo e o mundo espera de nós Um pouco mais de paciência…”

Dizem que tudo aquilo em que se concentra aumenta. De maneira que quando nos sentimos tensos ou doloridos, ansiosos ou deprimidos,  e nos paralisamos diante desse acontecimento da vida, o corpo representando a alma assustada, se encolhe, se contrai. A respiração encurta, pouco oxigênio na corrente sanguínea, diafragma contraído. A alma se encolhe e o corpo prende. Trava.

Nossos pensamentos e emoções são por demais importantes para não terem movimento. O movimento  que  cura, que mobiliza o imaterial, que te faz respirar, se arriscar e voltar para “casa” que recebemos ao nascer. Nessa casa, você pode até chorar quando quiser desabafar, pode observar, cuidar,  experimentar o ritmo. O seu ritmo, afinal.  A vida tem ritmo. Observe o da sua respiração agora, enquanto lê essas linhas… É no corpo que nascemos e respiramos pela primeira vez, é no corpo que passamos nossas vidas e o deixamos em nossa última expiração. A consciência do próprio corpo, da respiração, das emoções e pensamentos que acontecem todo o tempo, é uma ferramenta para a vida. A vida tem prazer e dor. alegria e tristeza. Questão: Entre o nascimento e a morte, como vamos habitar o corpo e respirar a vida?

O que sentimos, essa aceleração em tudo,  é real. As mudanças planetárias e cósmicas são tão reais como a sua respiração e assim como um mero satélite tem influências sobre as Águas da Terra e os humores dos humanos, imaginem uma transformação da magnitude que estamos vivendo. Conscientes ou não. É como num trabalho de parto. Precisamos atravessar um período delicado para soltar e dar à Luz. Dar à Luz e soltar tudo que prende e que precisa sair de nós.  Voltar pra casa, pro corpo. Pra respiração, Permita que sua Consciência Corporal cresça e evolua. O escuro da tensão, da paralisia e da dor, seja qual for,  está na Luz na sua Consciência. Respire isso com carinho.

Sandra Moreira Ebisawa

CorpoInConsciencia
Articule sua mente
Observe a respiração

Anúncios

2 pensamentos sobre “Habitar o corpo

Os comentários estão desativados.