Feminilização da Humana


1229999_578475012215174_1392239728_n

Mesmo com todo a progesso tecnológico e científico do universo masculino e apesar da Mulher do século 21 ser mais sábia, ter mais facilidades de acesso ao conhecimento e a informação e outras facilidades em sua busca pela paz interior, é comum sintomas de exaustão, ansiedade e desânimo, mesmo entre mulheres mais conscientizadas. Isso sem falar nas doenças psicosssomáticas que se enveredam células adentro e produzem disfunções mais graves e situações limite.

Me chamou atenção que o compartihar entre “Seres femininos” tem o poder de unir, fortalecer e transformar, podendo mudar tudo e fazer toda a diferença.
As mulheres precisam umas das outras para partilhar o que vem acontecendo nas profundezas de suas almas. Despertando, gerando cura e harmonia aos que estão ao seu redor. Seja o companheiro, os filhos, os amigos e também no trabalho que desenvolvem. Não se trata aqui de competição de gênero, mas da natureza de cada um. Para que haja AMOR, o feminino em nós precisa de aceitação.

A imagem de estarmos todas grávidas e sem sabermos como parir, me parece adequada.
Independente da idade, crença, raça, cor e outras características, alguma coisa dentro da alma de cada mulher grita. É um grito de limite, de parto, de período expulsivo.
O poder feminino precisa nascer, nem que seja do grito em cada coração feminino.

Todo sistema social atual precisa crescer apoiado nesse poder.
Essa opressão de fora pra dentro me parece ser a urgência da Mulher atual, sentindo o imenso desconforto interior e a exaustão de um longo trabalho de parto medicamentoso e desumanizado. Não gosto de utilizar essa palavra, pois acho absurdo humanizar o nascimento humano, por definição. Mas aqui cabe esse falsete, pois na verdade o que está por trás dessa “humanização” é a feminilização. Abrir espaço e tempo para que o aspecto feminino de cada ser, desperte e atue.
Esse grito não sai pela boca em forma de elaboração da experiência, de forma transformadora, mas como ataques de fúria, mêdo, culpa e solidão. O corpo sofre essas emoções nas vísceras, nos sistemas orgânicos.

A alma feminina quer expandir. É sua natureza doar, manifestar, dar á Luz ao que há em Si mesma.

E aos Homens existe o árduo e sábio trabalho de proteger e dar a este nascimento do NOVO, o suporte e entendimento necessário para que ambos possam desfrutar da cumplicidade de ser parte de algo maior que cada um.

O mundo atual necessita de introspecção para refletir. Como se necessitasse de uma Vagina para fazer o movimento do parto invertido e ser acolhido num útero fértil, para que possa crescer e desenvolver a União entre as ilusórias “partes” e dar à LUZ ao Novo Mundo, num Novo SER. O SER desperto, consciente de sua coneão com TUDO o que Há.

Eu creio ser possível essa transformação através do Corpo, que abriga e “fala” daquilo que nem ousamos pensar. CorpoInConciencia é isso. A minha esperança de União, alegria, coragem e conforto na alma.

Na prática, venho me propondo a criar encontros significativos e jornadas de pacificação e despertar, a mim mesma e aos que querem se unir nesse propósito.

Em 11 de Março, na Glória, Rio de Janeiro, abri um espaço para práticas corporais e meditação coletivos.
Quem me lê e é tocado no coração, já faz parte desse grupo. Manifestar e mover-se para esse encontro é apenas a manifestação de um desejo indizível que sem saber compartilhamos. Que essas consciências cheguem e que juntas possamos criar uma egrégora de Amor e União, através desses encontros.
Sejam bem vindas, consciências amigas! Venham matar a saudade daquilo que não sabemos dizer.

Sandra Moreira de Almeida.
Observe sua respiração
Articule a mente
Sejamos gentis uns com os outros

corpoinconsciencia.com
sandra.moreiradealmeida@gmail.com
Skype: sandra.ebisawa

Anúncios