Medo de ser feliz


BD887

“…Não é que eu goste de ficar  mal. Gosto do prazer de estar em mim.
Quando a paz visita meu peito e pacifica meus batimentos, abre meu sorriso facilmente.

Eu tenho medo de ser feliz por causa da impermanência. Já quis até maldizê-la. No sofrimento há a possibilidade de Paz. A paz que ainda não tenho. Mas que enquanto eu respirar, é uma possibilidade atraente.

Por isso eu estou com medo. Está tudo muito bem no meu pequeno Eu, no meu pequeno mundo.

Há ameaças reais nesse jogo da vida. Mas elas fazem parte do Teatro profano.

Tenho que me acostumar com a ideia da morte. De que tudo é finito. Efêmero e doloridamente Real.

Tenho em mim a esperança da morte.
Tento driblar a morte, procrastinando, como se tivesse toda a vida pela frente. Consciente de que o tempo passa no Corpo, eu faço isso.

Eu sofro porque tenho consciência. Sei que não deveria ter acendido aquele cigarro, que não deveria ter tomado o café na padaria, que deveria andar mais. Organizar melhor o dinheiro.  Ter um plano de Vida.

Tenho medo de andar nas ruas da cidade em que vivo. Onde nasci e cresci. Sinto medo de muito movimento e muita gente.

Conviver comigo mesmo o tempo todo é difícil. Eu me faço mal.  E não consigo evitar isso. Eu me causo sofrimento através dos meus pensamentos sem direção. É meu inconsciente atuando em Mim através de meu corpo e mente. Desconfortável sob minha pele eu vou pro mundo.

Minha vontade de boa convivência me faz abrir mão de coisas que me importam, fico sufocada e ansiosa. Conviver com o outro é abrir mão de algumas coisas pelo bem comum. Desejo planos em comum.

Sei que para ser sentir paz, preciso dizer alguns “Nãos”. Negar algumas realidades e observar outras. Negar temporariamente que somos impermanentes, fingir que somos eternos e tecer planos para o futuro.

Esquecer a morte, esquecer o tempo e esquecer o medo de ser feliz…Respirar como se fossemos eternos.

Lembrar do dito da Senhora celta, “…caminhar um nano por vez. Avançando sempre até chegar numa subida…O segredo está nas pequenas coisas. Tudo começa com o primeiro gesto…”

Você ainda está me lendo? Vou dar início a segunda parte do meu dia. Colocar em prática essas pequenas coisas. Vou lá pra cozinha procurar ser feliz. Obrigado, por me acompanhar até aqui…”

SMAE
Numa encarnação atormentada em processo de iluminação

Anúncios